terça-feira, 7 de junho de 2011

Saudades tuas...

Tenho saudades tuas.
O meu coração chama por ti,
submerso em angústia,
desesperado de cansaço.
Chama como se não houvesse amanhã,
como se não pudesse viver sem ti,
será que pode?
Acho que não, apesar disso,
tento acalmar a tanta agitação,
a revolta incessante,
os gritos estridentes,
os palpitares mortíferos,
que ele lança de quando em quando.
Sinto-me a esmorecer,
estou fraca, sem forças,
mas, o meu coração continua intacto,
parece potente e inabalável,
mas, na verdade, sei que não é bem assim,
também ele está frágil,
também ele está a sofrer deste desgosto.
Sinto-o a escurecer muito devagarinho,
é certo que, mais cedo ou mais tarde,
a noite se instale nele e, esta dor,
desgastante e cruel, o vença.
É por ti e só por ti,
é por ti que ele se está a deixar morrer,
aos poucos e poucos.
É por ti e só por ti,
que ele grita descomunalmente,
é por acreditar no teu regresso,
acima de tudo, é por te amar,
muito possivelmente, mais do que o que mereces.
Por mais que eu lute para o manter,
por mais que me debata contra a vida,
por mais que chore e grite,
ele berra sempre mais alto,
berra por ti!
Ana Filipa Batista.

3 comentários:

  1. Muito bonito embora mostre tristeza, estas de parabéns pelo poema ...

    ResponderEliminar
  2. Olá Carina, obrigada pelo comentário. Beijinhos.
    Ana Filipa.

    ResponderEliminar
  3. Entras no meu desafio?? :)

    http://desafiote-desafiarme.blogspot.com/

    ResponderEliminar